Tempestade

Ele caminhava devagar pela rua olhando para os lados despreocupadamente, sabia que iria chover e sentiu a umidade do ar em seus labios grossos. H2O + C2 pensou, era fascinante o sabor da poluição trazida por aquela brisa fresca. O céu se agitava, e as moléculas no ar agitavam seu pensamento. Corro ou fico? Me molho de chuva, ou permaneço molhado de suor, essa macula que representa o meu trabalho duro?

Ele caminhava devagar, e olhou para o céu, e mirou bem as núvens pesadas de chumbo grosso, pronto para cair em sua cabeça… Mas nada caiu, nada cedeu. O calor deu lugar a brisa fresca, a luz amainou no céu, um céu envergonhado que se escondia atraz de uma cortina escura e densa. Em pensar que o dia estava radiante, agora está estupendamente opaco e sem brilho. Mas é preciso ver o belo no feio, é preciso tocar a cicatriz sem se arrepiar. É preciso saber apreciar a tempestade.

Anúncios

1 comentário (+adicionar seu?)

  1. Lórien
    jan 09, 2013 @ 06:30:20

    lindo XD

    Responder

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Selinho

%d blogueiros gostam disto: