Gordice!

Todo mundo comete gordice, até mesmo os gurus da boa saúde e das dietas infalíveis, e se eu estou postando esse post agora, é porque hoje eu cometi uma gordice das cabeludas. Mas o post não é sobre o que eu comi hoje, embora eu vá falar sobre isso no final, é sobre como podemos evitar a gordice.

A princípio, todo animal tende a executar uma ação para satisfazer um desejo involuntário/irracional e muitas vezes excedemos esse ato, por não saber quando teremos aquilo novamente. Muito provável uma memória genética de nossos ancestrais das cavernas, que nunca sabiam quando seria sua próxima refeição. O homem das eras medievais, principalmente um camponês padrão, tinha que contar muito bem suas refeições, de forma a calcular quando seria a próxima colheita, ou coisas desse tipo, o que só contribuiu para nossa memória genética.

Hoje o humano padrão metropolitano pode contar com supermercados, o que nos exime da responsabilidade do plantio ou da caça. Está lá, é só pegar, mas muitas vezes compramos uma coisa sem precisar dela realmente, por um luxo, por desejo, ou para estoque (porque pode estar em promoção). No fim, uma forma de auto-preservação.

A “Gordice” entra exatamente nesse ponto. Se temos uma mesa farta, nos sentimos obrigados a comer um pouco de tudo, mesmo que pouco de tudo exceda nossa capacidade estomacal padrão. Se temos pouca variedade a mesa, muitas vezes nos sentimos impelidos a comer muito para se sentir satisfeitos, ou porque o que tem está realmente muito bom e queremos ter o prazer do bom paladar, ou porque em alguns casos, parece que falta algo, logo, come-se muito para suprir o medo de “não sei quando vou comer bem denovo” e esse ultimo pensamento é instintivo, não participa ativamente da nossa razão.

Eu estou aos poucos me re-educando para a alimentação. Não sei quando isso começou, mas começou de alguma forma e tem me beneficiado. Eu muitas vezes paro de comer quando sei que mesmo que ainda tenha fome, o estômago já está satisfeito. Leva em torno de 10 a 20 minutos para o corpo registrar o alimento que entrou pela boca, por isso todo mundo sempre fala para comer de vagar. Quando você der a ultima mordida no seu alimento, se comer devagar, o corpo já vai ter assimilado a primeira mordida, então você saberá se está satisfeito ou não.

Em alguns casos você já sabe o quanto deve comer, como 1 pão com manteiga, o numero de pedaços de pizza ou uma quantidade X de alimento a que colocar no prato. Ok, as vezes nos sentimos o máximo de nos gabar que comemos muito, principalmente no caso dos homens, mas isso não passa de coisa de criança. Acontece que tem funcionado muito bem pra mim. Eu aprendi a quantidade do arroz com feijão, o tamanho do bife, a porção de salada ou batata frita, e isso tem melhorado meu peso, meu sono, minha produtividade depois do almoço.  Bem, as vezes eu não produzo mais nada depois do almoço, simplesmente vou jogar no computador, mas pelo menos não vou mais direto pra cama, o que pode ser inadmissível quando você está desempregado.

Mas hoje eu cometi a gordice master. Depois de 1 pastel de feira, e 2 laranjas na hora do almoço, eu ainda fui para um pic-nic de aniversário e comi muitas coisas gostosas, simplesmente porque eram gostosas demais para eu deixar passar em branco. E no final a bomba atômica foi terem achado uma bandeja fechada com Carolinas de mousse de limão… Puts, fudeu, mal estou conseguindo respirar! 😀

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Selinho

%d blogueiros gostam disto: