Compartilhamento

Antes de escrever esse post, um detalhe no Firefox me chamou a atenção: “O Firefox autometicamente envia alguns dados para a Mozilla de forma que possamos aprimorar sua experiencia.” seguido do botão, “Selecionar o que eu compartilho”.

É engraçado ver que o conceito de privacidade se modificou ao longo da esistencia. Alguns se afeiçoam a essa privacidade com unhas e dentes, tentam se blindar de todas as formas para algo que nunca existiu. Eu acredito que assim como o Livre-Arbítrio, a privacidade é um engodo.

A menos que você viva só, isolado do mundo, numa ilha deserta, a privacidade nas grandes cidades não existe. Se você mora em um apartamento, seu vizinho de cima e de baixo compartilham de certa forma sua privacidade. Se você mora em uma casa, quem compartilha desse pequeno espaço cercado por paredes na sua vida são seus vizinhos laterais.

Na era da informação o compartilhamento de vida é quase automatico, vc não seleciona mais que tipo de informações via enviar e nem para quem. sinceramente falando, eu pouco me importo com isso. O Google por exemplo sempre soube a cor das minhas cuecas e isso não me faz a menor diferença.

Anúncios

7 palavras sobre Abril

Continuando a série de sete palavras que descrevem cada um dos meus meses:

1)Casa

2)Design Mentoring

3)Jade Dynasty

4)Trabalho

5)Disciplina

6)Aprendizado

7)Frio

How soon is now…

How soon is now – The Smits

I am the son
And the heir
Of a shyness that is criminally vulgar
I am the son and heir
Of nothing in particular

You shut your mouth
How can you say
I go about things the wrong way?
I am human and I need to be loved
Just like everybody else does

I am the son
And the heir
Of a shyness that is criminally vulgar
I am the son and heir
Of nothing in particular

You shut your mouth
How can you say
I go about things the wrong way?
I am human and I need to be loved
Just like everybody else does

There’s a club if you’d like to go
You could meet somebody who really loves you
So you go and you stand on your own
And you leave on your own
And you go home and you cry
And you want to die

When you say it’s gonna happen “now”
Well when exactly do you mean?
See I’ve already waited too long
And all my hope is gone

You shut your mouth
How can you say
I go about things the wrong way?
I am human and I need to be loved
Just like everybody else does

Cozinha para noobs #1:Chuchu e Berinjela

Ontem ficamos sem internet em casa, portanto, não pudemos cumprir o desafio.  Por não ter sido nossa culpa, estamos postando retroativamente. Acho que faz sentido, né? O que eu ia postar ontem era o seguinte:

Eu sou uma pessoa que não sei cozinhar quase nada: Sei fazer arroz, macarrão, bolo, alguns doces, miojo, gelatina, fritar hamburger e bife. Mas, como o Chronos está almoçando fora, decidi que os almoços de durante a semana (que eu vou ter que fazer por mim mesma) vão ser mais a minha cara, com coisas que eu gosto de comer e o Chro não gosta (leia-se: legumes cozidos). Semana passada foi a vez do chuchu.

No primeiro dia, eu tive dificuldade prá cozinhar o chuchu, porque eu não sabia o quanto de água precisava, nem o tempo que demorava; pois bem, cozinhar o chuchu precisa de bastante água, e demora um certo tempo; no dia seguinte, eu tentei novamente, e toda a água evaporou e a panela ficou um pouco queimada, mas o chuchu ficou delicioso. Conclusão: Ainda não peguei “as manha”.

Ontem, fui fazer berinjela, e como, dessa vez, eu não tinha a mínima idéia dos procedimentos, pesquisei na internet. Minha pesquisa me fez chegar em duas receitas que achei mais simples: Essa e essa, que eu recomendo para quem nunca fez berinjela antes. Me baseando nelas, eu primeiro piquei alho e cebola e deixei-os um tempo refogando no azeite, e, depois, coloquei a berinjela e deixei refogando também por um tempo. Quando já não dava mais para ver o azeite, eu coloquei um tantinho de água; a água que eu coloquei primeiro ainda não foi suficiente para cozinhar a berinjela, quando percebi isso coloquei mais meio copo, aí deu. Minha berinjela ficou uma delícia e eu comi tudinho.

Então, por enquanto o score do duel lozinha X legumes é:

chuchu x Lozinha: Empate

berinjela x Lozinha: Lozinha wins

De vez em quando eu vou contar aqui minhas aventuras pelo mundo da culinária 🙂

Just a ribbon – well, a creative one.

Sabe um dia completamente sem inspiração para quase qualquer coisa?

Pois é, hoje foi assim.

Então fica esse just a string para os meus queridos leitores. Mas esse é um string especial: Tem bordas escalopadas :p

______________________________________________

UUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU

ou seria melhor dizer que é um just a ribbon?

PS: Chro, nao imite minhas idéias de design superior :p

Uma forma de olhar o mundo…

As vezes eu me sinto estranho, porque ainda não encontrei alguem que olhe o mundo do mesmo jeito que eu. Bom sempre tem gente que olha de forma similar, mas ainda falta algo. E pra ser sincero, acho que não vou encontrar nunca alguem assim, porque se parar pra pensar, cada olhar é um olhar único.

As vezes eu tenho uma certa dificuldade em me expressar. Se eu dou risada de uma coisa, pode ser que eu achei engraçado, mas pode ser que eu também achei irônico, ou pode ser que a situação e tão desesperadora, que eu penso “melhor sorrir do que chorar”. As pessoas olham pra mim e dizem pra eu não rir, “Isso é um assunto sério!!!”. Porra é obvio que é um assunto sério, só por isso eu não posso sorrir? Acho que não.

Mas de qualquer forma, eu fico pensando, as vezes eu queria estar ser só um pouquinho diferente, mas… nah…….

Sonhos, sonhos ruins, pesadelos…

Sonhos: São gostosos e alegres, você acorda feliz.

Sonhos ruins: São chatos, rodam em círculos, te fazem acordar com sensações negativas, te lembram maus momentos, você quer se ver livre deles o mais breve possível (mas às vezes simplesmente não consegue)

Pesadelos: São absolutamente assustadores. São sobre coisas que te apavoram. Você acorda assustado, com medo, aterrorizado, às vezes com o corpo dormente e com uma sensação horrível. Você não quer dormir depois que acordou, com medo de que o sono retorne. Aquilo te perturba e é realmente desagradável.

 

Antes eu considerava os sonhos ruins e os pesadelos uma coisa só, foi o Chronos quem me ensinou a ter essa graduação.

Fail Again

A Lozinha tem algo mais importante pra postar com certeza. E como eu ainda estou mal da gripe, e sem saco, meu just a flag de hoje vai ser o fato de que ontem estavamos tão morridos, que os dois pularam o dia… O que significa que ambos resetaram o 1&1. Merde!

Vale a pena?

De acordo com minhas ultimas impressões da humanidade, venho me questionando se vale a pena continuar existindo.

Coisas que pensamos estar relacionadas apenas no nosso campo de visão, mas que na verdade, acontecem em toda parte, aonde quer que você vá. Estupro, discriminação, intolerancia, fanatismo religioso, ignorancia, entre outras coisas.

Por mais que eu evite tais assuntos, eles sempre chegam aos meus ouvidos. Eu não evito simplesmente porque quero mascarar meu mundo de coisas bonitinhas, como muita gente faz por ai. Eu evito porque a raiva cresce cada vez mais quando eu fico sabendo dessas coisas e não posso fazer nada. A Impotência me “Imputece”.

Não existe mais para onde fugir. Antigamente falavam que nos EUA nada disso acontecia, hoje sabemos quase lá pode ser pior; Conheci gente que foi para a Europa, e se desiludiu igual, alem do que, atualmente a economia européia está falida; O Oriente está em guerra…

Agora eu pergunto: Pelo que vale a pena viver? Pelo que vale a pena morrer?

A melhor definição da nossa casa nesse momento

“Um monte de coisas amontoadas, com gatinhos por cima”

Entradas Mais Antigas Anteriores

Selinho