Acabou o pique.

Foi bem divertido escrever um post por dia no 1&1, mas acho que não fomos capazes de dar continuidade aos posts diários.

O blog vai continuar existindo, e vamos continuar atualizando ele, mas de uma forma mais lenta do que diariamente. Eu até tinha coisas para postar aqui, conteúdo, assunto, mas nos últimos 15 dias meu trabalho tem me consumido muito, então eu praticamente chego em casa como e durmo.

Quanto a Lórien, ela também tem estado absorta em outros projetos de Scrap Digital, chega uma hora que a ultima coisa que queremos na nossa frente é  tela de um computador. Até os jogos que costumávamos jogar estão praticamente abandonados.

Acho que é isso, foi legal nesses 5 meses a fio que durou, era pra ter durado 12, mas valeu a experiência! 😉

Anúncios

7 palavras/expressões para Maio

1. Um mês longo

2. Inverno

3. International Scrapbook Day

4. Tablet

5. Mães também erram

6. Procrastinação

7. Fazendo a vida valer à pena

Depois do susto

Hoje é dia 28, não teve greve.

Depois de todo o susto e toda a pressão do dia anterior. Não teve greve.

Eu tive que avisar várias vezes na empresa que se houvesse greve no metrô eu não teria como ir trabalhar. Mas não teve greve.

Quanto aos seres humanos que lutam por seus direitos, eu os apoio como seres humanos. Embora, não tenha havido greve.

Mas quanto aos poderosos em seu fraco poder, usando suas artimanhas e prejudicando a população. Não teve greve.

O Sindicato e o Trabalhador.

Me desculpem os comunas, não gosto de sindicatos.

Como eu sempre digo, se existe algo para assegurar uma pessoa de algo que ela por sí só já tem direito, então algo na existência está muito errado.

Vivemos num país onde a força sindical mais atrapalha do que ajuda, porque, simplesmente porque, nossos lideres mais atrapalham do que ajudam.

Dia 28 vamos ter greve dos metroviários em São Paulo. Não é certo, nada está 100% definido e todos nós paulistanos sabemos que a iminência de uma greve é pura pressão por aumento salarial. Porque obviamente quem ganha com isso é o sindicato.

Perguntei para um funcionário do metrô hoje, se haveria greve amanhã e ele me disse: “Tomara que não, estão negociando isso agora em assembleia, mas tomara que não tenha greve”. E nesse momento eu pude ver em seus olhos que o sindicato não estava lá para representar os desejos daquele trabalhador.

Para quem não sabe, anualmente o Sindicato fica com 1 dia de trabalho de um funcionário mais uma contribuição assistencial que é descontada numa parcela de 3x. Uma atualização salarial para uma rede de funcionários como os do Metrô e das linhas férreas da CPTM, significa muito para os ganhos de um sindicato. 14% para um funcionário é “pouco”, perto de 14% para a somatória total de ganhos anuais que o sindicato tem para simplesmente não fazer nada. Descontam isso oferecendo, planos especiais ligados ao sindicato como férias, saúde, viagens entre outras coisas, mas no fundo, o sindicato na minha opinião como na opinião da maioria de outras pessoas, não passa de uma máfia.

Hunger Games – Jogos Vorázes

Acabei de assistir. E aqui vão minhas impressões sobre o *** FILME ***.
(Eu ainda não li o livro, não adianta falar que o livro é melhor, porque eu sei que provavelmente ele é, mas e daí. quando eu ler eu comento)

A princípio parece um Battle Royale da vida, pra quem está acostumado com essa comparação, nenhuma novidade. 24 Jovens jogados numa ilha controlada pelo governo onde seguimos a velha máxima Highlander: Só pode haver 1. Bom, até ai tudo bem, bla bla bla… Uma mistura de Big Brother, com No Limite (todas essas referencias são estrangeiras, as versões brasileiras são um lixo) e a protagonista feminista tem que descer da bota pra poder ficar viva. Vende, pra blockbuster.

Não gostei da saída americana para o final, todo mundo gosta de Romeu e Julieta, mas então porque não aconteceu? Não gostei do desenlace da trama política, poderia ter sido melhor explorada, mas… porque não aconteceu??? Ok, todo mundo vai falar que no livro isso é explicado melhor… Mas… Eu não li o livro. Forçou-se uma continuação, mas ficou na cara que foi forçado. Se eu fosse ao cinema assistir a um filme no qual eu precisasse ler uma série de livros antes, eu teria preferido ler o livro, e 10 anos depois ver o filme.

Os pontos bons é que a Lórien pode assistir esse filme! 😀

Alias, antes de encerrar, gostaria de dizer que a massa populacional faz o mesmo que os habitantes de Panem, todo os dias quando olham a desgraça dos outros pela tela do BBB. “Que a sorte esteja sempre a seu favor.”

Hard Work

Não é porque eu voltei a trabalhar fixo que eu parei com todos os meus trabalhos paralelos. Bom, de certa forma nenhum ser humano foi feito pra isso. O que acontece depois é uma morte súbita em lençóis quentinhos (e com gatinhos).

Depois de torrar o cérebro durante a semana, eu mergulho na poeira de um arquivo morto aos sábados a tarde. E domingo é dia de arrumar a casa, porque na segundona as coisas voltam a ferver. Sábado eu deitei depois do almoço e acordei as 19:45. Sábado foi um dia que não existiu pra mim, porque eu basicamente dormi.

E esse processo vai se repetindo, porque a vida ultimamente se resume a isso, Work Hard or Die in Bills…

Eu poderia estar matando, eu poderia estar roubando, mas estou aqui levantando da minha cama quentinha pra postar no Blog! 😀

As portas do outro mundo

Uma coisa muito inusitada me aconteceu hoje.

Ao voltar para casa, entrei no onibus e ao passar a catraca me sentei no banco destinado a cadeirantes e cegos, e obviamente como não havia nenhum cadeirante ou cego no onibus, ali fiquei.

Acontece que eu trabalho muito proximo ao Cemitério da Quarta Parada (não me pergunte onde são as 3 paradas anteriores), e este banco em especial, fica bem em frente a porta adaptada.

Ali me sentei e fechei um pouco os olhos para respirar, porque eu tinha corrido para pegar o onibus, e estava ofegante. A surpresa me veio quando abri os olhos.

Imediatamente a minha frente, estava o portão do cemitério, já fechado devido ao horário. A porta do onibus não se abriu, mas emoldurou o portão fechado perfeitamente. Alem do portão havia o caminho para uma capela que estava vazia e uma luz fraca e amarela estava acesa la dentro, e bem no centro dela havia um pedestal com suporte para uma biblia grande, mas vazio. Como a luz era fraca e distante, enchia a capela de sombras, como se a luz projetada ali dentro viesse de velas e conferia uma visão singular do meu ponto de vista.

Eu achei aquilo muito interessante, não me deu medo como daria na maioria das pessoas, mas me inspirou respeito e um frio na espinha.

…Dead always comes to us all… No matter who you are!

Inferno Astral dia 02: Dispersão

Hoje, estive dispersa o dia inteiro. Fiquei melhor nas coisas que tinha que fazer longe do computador, que nas coisas que tinha que fazer no computador. Achei um cabelo branco, o primeiro realmente sério – até que eles demoraram. Almocei pizza de ontem. Terminei uma página de scrap que estava parada. Meu kit digital não evoluiu muito – tenho dois dias para terminar.

Para mostrar que, apesar dos BRs idiotas tem muito brasileiro bacana, achei essa notícia na internet:

http://g1.globo.com/turismo-e-viagem/noticia/2013/05/casal-de-brasileiros-viaja-pela-asia-com-gato-de-rua-que-adotou-no-laos.html

Ah, e terminei de ler um infantojuvenil da Rosana Rios que havia começado ontem: Game Over – Uma ameaça virtual. É bem bacaninha, destinado a um público de pré-adolescentes. Se eu ainda desse aula, recomendaria aos meus alunos nessa faixa etária. Cheio de citações a coisas variadas, e os personagens tem nomes baseados na saga arturiana. Achei legal ter uma menina que é boa nos video-games na história. Quem sabe a Rosana não queira escrever um livro com ela como protagonista depois? Vou dar essa sugestão a ela…

Chalkboard on Design

I finished my 1st chalkboard project for an E-mail Marketing on my job yesterday. And today, the day for publish it, was a sucess.

Well, someone told me i dont have the “feeling” for it, i know the technique, but dont know how to made it nicely and bealty. But, anytime someone show a new order, thanks to my work, i smiled inside.

Some people can be very annoying… But the Universe is wise, and the balance is perfect.

E_Mkt_Moleskines_Correct

Inferno Astral Dia 01 – Um mês na vida da Lozinha

Inferno astral é o mês que antecede seu aniversário. Decidi que vou fazer um registro do meu cotidiano nesse mês, em fotos e frases, e talvez vá fazer páginas de scrap digital, estilo project life, com elas. O primeiro dia é hoje.

Inferno Astral 2013, primeiro dia

-Byakko estava chorão o dia todo

-Defumei a casa com comida queimada – comi o hamburger queimado mesmo, mas a vagem deu PT – Detalhe: Não queimei porque eu esqueci, mas porque coloquei pouca água na vagem e pouco óleo no hamburger – nunca tinha feito isso antes 😦

-Fiz três papéis de scrap para um mini kit – não tenho certeza se o terceiro está com qualidade suficiente, e confesso que apanhei um pouco dele :p

-Fui ao posto para ver a consulta que eu perdi – e não consegui marcar porque não tem vaga pro resto do semestre, agora só prá Agosto. Mas consegui algumas informações importantes.

-Tive um fim de tarde e início de noite bastante agradáveis com o cumpadre e a comadre – que bom saber que as coisas estão caminhando.

Entradas Mais Antigas Anteriores

Selinho