Hunger Games – Jogos Vorázes

Acabei de assistir. E aqui vão minhas impressões sobre o *** FILME ***.
(Eu ainda não li o livro, não adianta falar que o livro é melhor, porque eu sei que provavelmente ele é, mas e daí. quando eu ler eu comento)

A princípio parece um Battle Royale da vida, pra quem está acostumado com essa comparação, nenhuma novidade. 24 Jovens jogados numa ilha controlada pelo governo onde seguimos a velha máxima Highlander: Só pode haver 1. Bom, até ai tudo bem, bla bla bla… Uma mistura de Big Brother, com No Limite (todas essas referencias são estrangeiras, as versões brasileiras são um lixo) e a protagonista feminista tem que descer da bota pra poder ficar viva. Vende, pra blockbuster.

Não gostei da saída americana para o final, todo mundo gosta de Romeu e Julieta, mas então porque não aconteceu? Não gostei do desenlace da trama política, poderia ter sido melhor explorada, mas… porque não aconteceu??? Ok, todo mundo vai falar que no livro isso é explicado melhor… Mas… Eu não li o livro. Forçou-se uma continuação, mas ficou na cara que foi forçado. Se eu fosse ao cinema assistir a um filme no qual eu precisasse ler uma série de livros antes, eu teria preferido ler o livro, e 10 anos depois ver o filme.

Os pontos bons é que a Lórien pode assistir esse filme! 😀

Alias, antes de encerrar, gostaria de dizer que a massa populacional faz o mesmo que os habitantes de Panem, todo os dias quando olham a desgraça dos outros pela tela do BBB. “Que a sorte esteja sempre a seu favor.”

Rorouni Kenshin – O Filme

Assistimos hoje o Live Action de Rurouni Kenshin – As Cronicas de um Samurai na Era Meiji. O motivo disso eu explico no final.

O Filme é uma boa adaptação. Tiveram que rebolar um pouco para fazer o meio da história desenrolar, mas eu acredito que isso é coisa de Japonês. Os personagens estão fieis a sua essência, apenas no Sanosuke que ficou meio apagado, sem sentido no filme. Quase parece que ele só está ali, porque senão iam reclamar que o “anti-heroi” da série não aparece nela.

O plot perde o fio da meada no meio do filme, mas volta a se encontrar até o final. Afinal de contas, tiveram que condensar mais ou menos 10 a 15 capítulos do mangá em algumas poucas horas de filme. E ainda existem flashes da vida passada do Kenshin que não mostra realmente nessa parte do mangá.

Agora eis o motivo principal de eu ter assistido o filme:
DSCF6009
Conheçam Ronrony Kenshin! 😀

Piratas do Caribe 4 – Navegando em aguas misteriosas?

Acabei de assistir… É mais um filme da franquia… Não é bom, mas não é ruim… e por ultimo, desligue o cérebro quando for assistir.

Não convence, é uma aventurinha a lá infanto juvenil com mortes e sangue, o que me causou estranhesa vindo de um filme da Disney, mas ainda assim uma aventurinha só. Não é o Captain Jack Sparrow do Pérola Negra, nem o Captain Barbosa, nem nada mais.

E pra terminar de desabafar, sem tentar dar Spoilers, o que na minha opinião não faz a menor diferença, o roteirista filho da puta que fez os espanhois debulhar a bagaça toda, merece queimar muito em oleo borbulhante.

PS.: A pequena sereia não convence como escape romantico…

Selinho