Um outro lado da moeda

O Chronos já escreveu um pouco, há quase dois meses atrás, sobre o poder daquilo que falamos. E eu, outro dia, estava comentando sobre uma conversa que tive com uma amiga acerca de conseguir aquilo que se deseja. Há uns dias atrás, estava tendo outra conversa, com outra amiga, e, inspirada nela, resolvi deixar umas palavras de advertência, exemplificadas por uma pequena lenda da mitologia helênica:

Eos tinha um esposo mortal, chamado Titonus, que ela amava muito. Então, ela pediu a Zeus que transformasse o amado dela em um imortal, e ele concedeu a imortalidade a Titonus, conforme Eos tinha pedido. Mas, como ela não falou nada sobre a juventude eterna, Titonus continuou envelhecendo normalmente. Até que estava tão, tão velhinho, que não conseguia mais se mover, todo o corpo doía, e ele ficava só reclamando, e Eos ficou muito triste, porque o amava e pretendia viver com ele por toda a eternidade, mas ele estava sofrendo muito. Há versões nas quais ela o trancou numa torre dourada (ou algo assim), outra nas quais os deuses tiveram piedade dele e o transformaram num insetinho, uma espécie de grilo. Mas o fato é que Eos se entristece até hoje por causa de um pedido mal formulado.

Em outras palavras, o universo e os deuses não são burros, mas, muitas vezes, são muito literais em suas respostas aos pedidos que fazemos, ou fazem o que queremos, mas não do jeito que imaginávamos. Então, se pedimos “só queríamos ficar uns dias em casa”, pode ser que fiquemos doentes de um modo que não precisemos sair de casa, mas estejamos na cama agonizando e não consigamos descansar ou fazer mais nada (já aconteceu comigo), ou, se pedimos “tal emprego”, pode ser que tenhamos o dito cujo, mas o salário seja baixo, ou não gostemos do emprego do jeito que imaginávamos (também já aconteceu comigo), e por aí vai. 

Então, deixo aqui essas palavras de alerta: Tomem cuidado com o que pensam e pedem, e, quando forem pedir alguma coisa, ou sejam bem específicos com o que vocês pretendem para aquele pedido, mas deixando espaço para os deuses encontrarem o que é melhor naquele campo (um exemplo funcional: “um emprego que me traga prazer, prosperidade financeira, e cujo local de trabalho seja próximo à minha casa”).

Anúncios

The sounds of the Universe

This is my 1st post in english… i’am a bit shy, i have to confess.

But i’m here today to talk about a feeling i have today. The universae is made by songs. and you must know how to hear this songs to go ahead perfectly.

Know the sounds of the universe give you the power to understand the flow of events in your life, in your day, or maybe in your projects. thats why sometimes i just look to horizon and listen to the winds, becouse we can hear these sounds in the winds.

I realized it long time ago, but just now i have the understandig to verbalize it…

Feliz Páscoa!

Meu post de hoje é para desejar Feliz Páscoa aos leitores do 1&1:

Creditos: Fotokit digital

Obviamente, eu respeito quem tem outros significados para a páscoa, mas, para mim, a páscoa é o “dia do chocolate” (que nem precisa ser em ovo se a barra for mais pesada ^^) . Em primeiro lugar, porque eu não sou cristã. Em segundo lugar porque os “símbolos mais profundos” da páscoa para além do cristianismo são símbolos ligados à Primavera, e aqui estamos no Outono. Então eu celebro essas coisas de primavera no equinócio de primavera, em setembro. Simples assim.

O que não me impede de desejar feliz páscoa a todos, achar coisas de páscoa fofinhas, e comer muito chocolate 😀

 

Água

Mais chuva lá fora – muita água caíndo do céu – e eu, aqui, pensando no que escrever, enquanto bebo um gole d´agua da minha garrafinha, tranquilamente.

A água, por suas características, tem uma série de significados diferentes – e, às vezes, ambíguos, na imaginação simbólica.  Na magia e no pensamento mágico, tantos outros. Mas uma coisa está clara e é válida, nos dois, assim como nos estudos científicos. A água está relacionada à vida e à morte. Os portais, de entrada e de saída desse mundo, ambos, tem relação com a água.

Ainda há muita gente, até hoje, que acredita que o início do parto é, necessariamente, com o rompimento da bolsa de águas. Somos seres aquáticos po cerca de 42 semanas antes de virarmos seres terrestres. Se não consomem água de qualidade, os seres vivos estão sujeitos a uma série de desfunções – e podem até morrer.

Que dizer, então, da relação da água com a morte? Para algumas correntes de pensamento mágico, o elemento água está ligado ao portal dos ancestrais. Não é à toa que temos tantas lendas sobre os rios do submundo, e, certamente, já ouvimos falar do barqueiro Caronte que conduz as almas. Partir para o mar aberto, na imaginação simbólica, pode, muitas vezes, significar ter falecido, ou ir de encontro à morte.

Sem as chuvas, os rios secam, inviabilizando a vida. Com chuvas em excesso, ocorrem as enchentes, perde-se plantações. Por esse carater duplo, e por seu caráter líquido, a água é, muitas vezes, considerada um elemento traiçoeiro na imaginação simbólica. Como tudo no mundo, precisamos de água na medida certa.

Cinco lugares da Europa que eu gostaria de visitar…

… e o que eu esperaria encontrar lá:

1) O top 1 tem uma longa história por trás, que eu preciso contar com mais detalhes qualquer dia, mas é um dos lugares que eu mais eu realmente gostaria de ver isso: A fronteira entre a Itália e a Suíça, próximo aos alpes. Gostaria de ir para lá na primavera/verão, e esperaria encontrar pequenos vilarejos que parecessem parados no tempo, e muitas, muitas flores silvestres. Uma vez, há muitos anos, vi um site que tinha um roteiro turístico de verão nos Alpes, dedicado a observar, contemplar e fotografar flores silvestres. Eu ia amar ❤

2) Florença: Esperaria poder passear a pé por lugares onde grandes gênios, como Maquiavel e Leonardo DaVinci viveram, caminharam e produziram, mas, principalmente, gostaria de ir aos museus de Forença. Especialmente a Galeria Degli Ufizzi. Gostaria de passar pelo menos uma semana só em Florença.

3) Atenas: Atenas foi uma cidade muito importante, em muitos aspectos, para a civilização ocidental. Como eu presto culto aos deuses helênicos, e se tem muito mais registro do processo histórico de Atenas que das outras partes do que chamamos hoje de Grécia Antiga, e temos relatos do mesmo lugar em tempos diferentes, muito do que se sabe sobre a religião helênica se refere, na verdade, à religião ateniense. Eu gostaria muito de sentir fisicamente a energia das ruínas dos templos antigos, gostaria de ver o que existe da acrópole, do Partenon, ir ao Museu Arqueológico de Atenas… é um grande sonho.

4)Eu também gostaria de visitar outras cidades (na atual Grécia, ou não), que têm vestígios dos antigos gregos, quer por serem colônias gregas, quer por serem parte da antiga Grécia. Obviamente, com particular interesse as coisas relacionadas com os aspectos religiosos: Templos, estátuas dos deuses, etc., mas também me interessam ruínas que digam respeito ao desenvolvimento científico, político e militar da civilização helênica.

5) Eu gostaria de passear pela Inglaterra. Tem muita coisa interessante lá, mas, se eu pudesse passar apenas rapidamente por lá, gostaria de conhecer as universidades de Oxford (em primeiro lugar) e Cambridge.

 

Tá, tem muitos outros lugares que eu queria conhecer na Europa (não deu nem prá por Stonehenge, Veneza, a Espanha, a Torre do Tombo…) mas acho que, se eu tivesse de escolher, dava preferência a esses.

Bagunça na Cozinha!

Minha cozinha é uma bagunça, todo mundo que frequenta nossa casa sabe disso. O pior item da cozinha é o fogão, que vive engordurado e sujo. Eu não tenho a neura da minha mãe de ficar limpando sempre tudo, mas confesso que as vezes isso ajudaria um pouco. Eu não dedico metade da minha vida a arrumar a casa, mas eu aceito o fato de que deveria dedicar um pouco mais a essa tarefa.

A Cozinha é o laboratório do alquimista. Ela é onde você transmuta o alimento, da manutenção à vida, é onde se aprende a essencia dos elementos. Eu quero mudar o mundo, transforma-lo em um mundo melhor, mas eu nem sequer consigo manter minhas panelas limpas! :-/

O Olhar do Mago

O mago, é aqule que na realidade, altera a realidade ao seu redor, a sua realidade. Não altera simplesmente o simbolismo dos elementos para benefícios pequenos, para se mostrar ou coisas do tipo, embora seja preciso aprender isso, pois esse é o “ensinamento menor”. Ele altera a realidade para grandes realizações que valham mais a pena de forma global.

Mas para alterar a realidade, é preciso primeiro entender a realidade. É preciso ver ela com os olhos apurados, e é esse o olhar do mago.

Não é só ver, é também emitir; não é só perceber, é também se fazer notado; o olhar do mago deve ser imbuido de sabedoria e malícia, de destreza e astúcia. É ir 10 anos adiante, e estar focado no presente. É alterar a realidade só de olhar para ela…

About a Dream – Kitten Message

(Apesar do título em inglês, a postagem é em português… Até eu resolver mudar)

Aqui na rua tem um gato, não como na rua da casa que eu morava antes, que tinham vários gatos. Aqui os vários gatos ficam dentro das casas das pessoas, e um único gato está na rua, e chamamos ele de “Street Cat”. Não da simplesmente para adota-lo, já somos 2 humanos desempregados e 5 gatos. A vizinha da frente tem 3, e pelo menos mais 4 casas na rua tem mais de um gato também. Minha sogra pensa em alimenta-lo, mas ela não quer adota-lo oficialmente, porque… hum… porque não. E estávamos conversando sobre ele hoje na hora do almoço e tudo mais e obviamente depois de uma pança cheia, veio a hora do soninho.

Acabei que sonhei com um gato de rua. Primeiro era o Street Cat, depois ele foi embora e veio um outro gato, um lindo filhotinho Marrom, Branco e ROSA! No sonho, ele não era arisco, as pessoas passavam por ele, lhe davam atenção e carinho, mas ele continuava na rua, entre a minha casa, da minha sogra (somos vizinhos) e da vizinha da frente, que além de 4 gatos ainda tem 2 cachorros (um macho e outra fêmea). Em um determinado momento, os cachorros da vizinha cercaram o filhote, mas não para brigar, estavam tentando fazer xixí nele, como que para marcar o território, mas ele não deixou, então eu consegui pegar o gato e ir pra casa da minha sogra, já que estávamos conversando sobre ela adotar um gato de rua.

Na casa dela ele ficou bem a vontade, embora todo o sonho tenha ocorrido com o gato na garagem dela, e a única pessoa dentro da casa era a Lórien. Primeiro eu verifiquei se o tom de rosa na pelagem não era tinta, o que não era, ou pelo menos no sonho eu me certifiquei e tive a certeza de não ser. Depois eu verifiquei se era macho ou fêmea, era um macho, tinha sido castrado recentemente, pois ainda estava com o fio cirúrgico fechando o ponto no saco. Mas tinha um outro ponto cirúrgico na barriga dele que eu não descobri o que era, era apenas um ponto, na altura das costelas, perto de um dos úberes.

Depois de brincar com o gato e verificar todas essas coisas, a Lórien apontou para o meu pé e disse: “Toma cuidado Chronos, seus pés estão cheios de pulgas”. E na verdade não eram só pulgas, mas pupas, ovos, larvas e todo o conjunto. Num ser humano isso não faz nada, mas pra quem tem 5 gatos em casa, isso é basicamente caso para passar por uma descontaminação radioativa. Não nos desesperamos, para um gato de rua, vir com pulgas é a coisa mais normal do mundo. Todos os nossos vieram da rua e tivemos que aplicar anti-pulgas em todos eles, mais de uma vez.

Eu ainda estava sonhando quando me dei conta de que aquilo era uma mensagem. Vamos dizer que a ficha caiu tão rápido que não deu tempo nem sequer de acordar. Alguma divindade bacanuda estava tentando me avisar de alguma coisa, que agora eu preciso quebrar um pouco a cabeça para decifrar o enigma, porque sempre vem em enigmas. O filhote de felino, que embora fosse cor de rosa (ein???) inicialmente era feliz, alegre e saudável, já estava castrado o que era um problema a menos, tinha sido abandonado e com uma incisão a mais do que deveria num lugar suspeito, e ainda estava com pulgas, uma coisa que da noite pro dia se alastra descontroladamente.

Vamos esperar para ver…

Sabe quando…?

Sabe quando todo o mundo confia que uma pessoa é capaz de uma determinada coisa, menos ela? Sabe quando todo o mundo sabe que a pessoa pode fazer o certo, mas ela prefere fazer o errado?

Sabe quando todo o mundo viu que uma coisa vai dar merda, uma merda daquelas bem fedidas, menos o ser humano imbecil que está executando a bendita coisa? Sabe quando todo o mundo está vendo que vai dar merda, e ninguém fala porque não tem coragem? Sabe quando todo o mundo fala prá pessoa em questão que vai dar a dita merda, e a pessoa em questão não escuta ninguém e continua fazendo?

Sabe quando a pessoa erra uma vez, e, não contente, fica repetindo o erro em moto perpétuo? Sabe quando o comportamento mencionado nesse parágrafo se associa ao comportamento dois dois parágrafos anteriores?

Sabe quando a pessoa não percebe o erro? Sabe quando a pessoa percebe o erro, mas ainda assim persiste nele? Sabe quando a pessoa percebe o erro, fala que vai fazer direitinho da próxima vez, e erra na mesma coisa? Sabe quando a pessoa odeia aquele erro, mas não sabe como evitá-lo?

Sabe quando a pessoa pede ajuda, mas não está disposta a ser ajudado? Sabe quando a pessoa pede conselho, mas não consegue nem ouvir o conselho até o final? Sabe quando a pessoa só vê, ouve ou entende o que lhe convém?

Eu sei. Todos sabemos. Mas essas situações continuam reais.

Para encontrar a resposta que você procura…

você PRECISA saber a pergunta.

Ok, isso pode parecer besta, tão besta que pode ser ridículo em algumas situações. Você, se for um pouco mais nerd, já deve estar pensando que isso é uma simples referência ao engraçadíssimo Guia do Mochileiro das galáxias. Só que não é só isso. Se você já trabalhou com suporte, ou de algum outro modo ajudando as pessoas a aprenderem coisas novas, talvez já esteja vendo além da obviedade.

A questão é que a precisão ao formular uma pergunta é diretamente proporcional à qualidade da resposta. Se você perguntar, por exemplo, “Eu quero aprender tudo sobre Adobe Page Maker” você vai obter uma resposta muito vaga. Se, ao invés disso, você pergunta “quero saber como diminuir, no Page Maker, o tamanho das bordas da página e da separação entre colunas”, é bem mais provável que você aprenda bem mais rapidamente o que você precisa, e você sempre pode fazer outras perguntas em outros momentos. Assim, uma das coisas que é comum ocorrer quando você está lidando com alguém que está aprendendo, é a resposta ser respondida com outras perguntas, até que a pessoa mais experiente consiga entender o que você realmente precisa.

Por outro lado, eu entendo que há situações em que uma pessoa se sinta tão perdida que seja difícil formular uma pergunta. Minha estratégia é: Se eu não consegui formular uma boa pergunta, sinal de que ainda não é hora de perguntar. Outra estratégia possível é não perguntar “na lata”, mas, na formulação da pergunta, explicar um pouco do motivo pelo qual você precisa de ajuda por isso. Ao invés de simplesmente perguntar “como faço isso?”, você pode perguntar “eu tenho ferramentas A e B e gostaria de fazer tal coisa. Qual é o melhor método para fazer isso?”

Embora minha motivação para postar essas linhas tenha sido de perguntas bem práticas que as pessoas fazem na internet (acabei de ver uma em um fórum de scrap que teria sido respondida bem mais rapidamente se a pessoa tivesse se explicado um pouquinho melhor), é curioso notar que isso também vale para quando você  joga um oráculo. Se você tem uma pergunta genérica, é bem provável que você não saiba exatamente ao que se refere a carta/hexagrama/voo de pássaro/whatever que você está usando para divinar. Com uma pergunta específica, o seu oráculo se referirá especificamente ao assunto.

Eu acho que formular uma boa pergunta é um esforço muito recompensador, principalmente para quem costuma ver muitas falhas de comunicação acontecerem ao redor. Por isso, esse é o meu conselho: Antes de procurar uma resposta, encontre uma pergunta.

Entradas Mais Antigas Anteriores

Selinho