7 palavras/expressões para Maio

1. Um mês longo

2. Inverno

3. International Scrapbook Day

4. Tablet

5. Mães também erram

6. Procrastinação

7. Fazendo a vida valer à pena

Anúncios

Inferno Astral Dia 01 – Um mês na vida da Lozinha

Inferno astral é o mês que antecede seu aniversário. Decidi que vou fazer um registro do meu cotidiano nesse mês, em fotos e frases, e talvez vá fazer páginas de scrap digital, estilo project life, com elas. O primeiro dia é hoje.

Inferno Astral 2013, primeiro dia

-Byakko estava chorão o dia todo

-Defumei a casa com comida queimada – comi o hamburger queimado mesmo, mas a vagem deu PT – Detalhe: Não queimei porque eu esqueci, mas porque coloquei pouca água na vagem e pouco óleo no hamburger – nunca tinha feito isso antes 😦

-Fiz três papéis de scrap para um mini kit – não tenho certeza se o terceiro está com qualidade suficiente, e confesso que apanhei um pouco dele :p

-Fui ao posto para ver a consulta que eu perdi – e não consegui marcar porque não tem vaga pro resto do semestre, agora só prá Agosto. Mas consegui algumas informações importantes.

-Tive um fim de tarde e início de noite bastante agradáveis com o cumpadre e a comadre – que bom saber que as coisas estão caminhando.

I am brazilian, but not BR – I hate BRs!

Prá quem ainda não sabe que tipo de comportamento é  que eu, o Chronos, e outras pessoas, chamamos de “comportamento de BR”, e prá quem acha que é exagero nosso, vejam que coisa sem noção essa matéria indicada pelo meu cumpadre João:

http://www1.folha.uol.com.br/tec/2013/05/1280744-brasileiros-ganham-fama-ruim-praticando-assalto-e-arrastao-em-jogos-on-line.shtml

Vale à pena olhar a matéria, que tem infográfico e videos. Mas, prá caso no futuro não dê para acessar, fica o texto…

 

Brasileiros ganham fama ruim praticando assaltos e arrastões em jogos on-line

ALEXANDRE ORRICO
DE SÃO PAULO

“Aqui é Brasil, seu safado!”, gritou o jogador identificado pelo apelido L3L3K antes de assassinar um norte-americano no “DayZ”, game de tiro em primeira pessoa. “Tinha que ser brasileiro”, reclamou a vítima.

No jogo, ambientado em um mundo pós-apocalíptico apinhado de zumbis, os participantes têm que cooperar para sobreviver.

Mas L3L3K faz parte de um grupo de jogadores que prefere roubar equipamentos e enganar outros gamers com o objetivo de “tocar o terror”.

Há anos, o comportamento “tóxico” (termo usado pela indústria de jogos) é apontado por jogadores de games de multijogadores como tipicamente brasileiro.

“DayZ” é apenas o alvo mais recente, mas outros títulos, como “Call of Duty”, “World of Warcraft”, “DotA” e “Minecraft”, entre vários outros, também têm legiões de arruaceiros brasucas.

No fórum do game “League of Legends”, é possível ler frases como “brasileiros são o submundo dos games on-line, a personificação do que é ser troll, o mais infame e odiado tipo de jogador” e “graças a Deus, abriram servidores brasileiros, assim eles entram menos por aqui [nos servidores internacionais]”.

O problema, é claro, não é exclusivo do Brasil. Mas nenhum outro país tem uma identidade negativa tão forte. Alguns brasileiros, na tentativa de fugir do estereótipo, mudam a nacionalidade de seus perfis no jogo, a fim de não serem rechaçados.

“Podemos afirmar que esse não é um problema que tem origem no game. O jogador é, no mundo on-line, reflexo de como vive no mundo real”, diz Julio Vieitez, diretor-geral da Level Up! (de games como “Grand Chase” e “Ragnarok”) no Brasil.

GANGUE DOS ‘HUE’

“Jogadores brasileiros em games on-line são uma gangue, e não um grupo”, disse Isac Cobb, desenvolvedor independente, durante a feira de jogos PAX East 2013, em Boston, nos EUA.

Cobb chegou a cogitar o bloqueio dos brasileiros em um novo jogo, mas disse que ainda não há nada decidido.

Entre as reclamações, estão a realização de assaltos, mendicância, ataques a membros do próprio time e outras atrocidades virtuais.

“Curtimos tocar o terror”, admite Caio Simon, 19, jogador de “DayZ”. “É só um jogo, estamos nos divertindo. Não é para levar tão a sério.”

Esse tipo de jogador é, às vezes, chamado de “hue”, por causa da típica representação de risada, normalmente disparada após cometer alguma barbaridade: “HUEHUEHUE”.

 

Agora me diga: Que ética essas pessoas que não sabem se comportar in game vão ter na vida melhor? Não seria mais bacana se eles estivessem usando os MMOs para aprender algo? Entenda, eu sou totalmente à favor dos games. Totalmente contra esse tipo de comportamento, de querer achar jeitinho prá tudo, e levar vantagem sempre, onde quer que ele seja aplicado: No jogo, nos relacionamentos, no trabalho…

Livro “A Vida, O universo, e tudo mais”

Acabei de ler ontem o livro “A vida, o Universo, e tudo mais”, de Douglas Adams. Esse é o terceiro livro da série Guia do Mochileiro das galáxias, a trilogia de quatro livros que tinha cinco livros que viraram seis livros ano passado com a publicação de um livro adicional.

Apesar do título interessante, dentre os três livros que eu li, este eu achei o mais fraquinho de todos. A história não me “pegou”, li intercalando com outras coisas o tempo todo, tem citações e cenas engraçadíssimas, mas… os outros são melhores. Se esse fosse o primeiro da série, não leria os seguintes. Como, no entanto, já estou na metade da dita cuja, pretendo começar a ler o próximo livro em breve.

Como não podia terminar o post sem uma citação, colocarei aqui a que me deixou com mais cara de o.O:

É um erro acreditar que é possível resolver qualquer problema importante utilizando apenas batatas.

Fui só eu que, nessa parte, me lembrei daquele famoso trecho de Quincas Borba que o Chronos até postou outro dia?

Também fiquei sem ter certeza se a parte do criquet tinha alguma coisa a ver com aquele hobbit que inventou o golfe, lembram?

Bom, por hoje é isso. Vou terminar de arrumar um kit digital que eu tenho que lançar na segunda…

 

Não pode elogiar

Só porque eu tinha acabado de elogiar minha conexão, ela piscou, e eu pensei “pronto, vou ficar sem internet o resto do dia”.

Já ouviram esse ditado? “Você não pode elogiar e já dá meleca?” pois é… Às vezes, realmente, a palavra vale prata, mas o silêncio vale ouro…

Quer ganhar um livro?

Eu quero :p Minha amiga e leitora do blog, Ale Dossena, está sorteando um exemplar do livro que ela publicou ano passado, Sonhando e Poetizando, para os leitores dela. Bacana, né? E não precisa divulgar no blog que nem eu estou fazendo, viu? É só comentar no post do sorteio no blog dela. E para achar o post do sorteio? Clique na imagem abaixo:

Amigos

Hoje teria sido uma segunda-feira como muitas outras se, ao cair da tarde um casal de amigos não tivesse aparecido de surpresa para dar um oi, ou se o oi não tivesse  virado uma conversa gostosa até altas horas da noite. Isso tornou o meu dia especial.
Amigos são muito importantes para a qualidade de vida, sim, e tornam nossos dias  melhores nos tempos bons e nos ruins.  E muito gostoso ter  amigos por perto 😀

P.s: esse  eh o primeiro texto que eu digito  no touchscreen. Até que eu estou me adaptando …

The Dread Crew of Oddwood

Hoje, numa manhã absolutamente normal, eu estava procurando por uma música absolutamente comum, quando eu me deparei, no YouTube, com um grupo… humm…. peculiar, chamado The Dread Crew of Oddwood. Eles fazem um medieval/pirata/cômico e cantam drinking songs e várias outras coisas daquelas que ficam no limiar entre o muito legal (quase genial), o tosco, e o surreal. Os melhores vídeos deles não estão no canal oficial da trupe no YouTube, mas nos canais de pessoas que viram apresentações deles, gravaram, e postaram, como esse (que também tem apresentações de um bardo, mais abaixo, muito bacainhas… Acho que são dessas renascience fairs muito legais que tem na Europa e nos EUA…)

Eu ainda não tenho certeza se eu gostei deles, ou se eu só achei uma coisa tosca e esquisita… bom, se alguém quiser dar uma olhada, aí abaixo vou deixar um vídeo deles (nesse, eles estão tocando a musiquinha do bar do Jabba the Hutt de Star Wars, mas tem um bem bacana de They are Taking the Hobbits to Isengaard no YT. É que esse é mais curtinho, então se vocês acharem tosco demais, é, pelo menos, uma tortura em dose homeopática 🙂

Eu podia estar postando um just a flag

Mas estou aqui pedindo que alghém ensine o Chronos a não cometer erros de portugues absurdos escrevendo Zs no lugar de Ss.

#Prontofalei

PS: Aqui é a Lórien, postei da conta do chro pq ja desliguei meu micro e to morta de sono.

Meu próximo mini-kit

Semana que vem tem freebie novo no meu blog de scrapbook design:

LW__MM1_Preview

 

Não só o que eu faço tem cada vez mais qualidade, mas eu também estou fazendo mais rápido. Além desse, que será lançado dia 15, e do Heart Rock Song, que vai estar disponível no fórum do SNP semana que vem, eu pretendo participar de dois blog trains de 01/06. Mas, antes de prepará-los, tenho uns layouts para entregar. Eu me divirto muito 🙂

Entradas Mais Antigas Anteriores

Selinho